Targo
Targo

A Targo Consultoria foi fundada em maio de 1999, pelo administrador Carlos Eduardo Oshiro, para atender, inicialmente, o setor de marketing da cervejaria Ambev, o qual havia trabalhado por anos.

Siga-nos
Contato: (92) 3584-4659
Endereço: Rua Pará, 600 (altos) – Vieiralves - Manaus/AM
E-mail: targo@targo.com.br
Siga-nos:
Top
Como a nova economia pode afetar a maneira de fazer negócios? – Targo
6881
post-template-default,single,single-post,postid-6881,single-format-standard,mkd-core-1.0,highrise-ver-1.1.1,,mkd-smooth-page-transitions,mkd-ajax,mkd-grid-1300,mkd-blog-installed,mkd-header-standard,mkd-sticky-header-on-scroll-up,mkd-default-mobile-header,mkd-sticky-up-mobile-header,mkd-dropdown-slide-from-bottom,mkd-dark-header,mkd-full-width-wide-menu,mkd-header-standard-in-grid-shadow-disable,mkd-search-dropdown,mkd-side-menu-slide-from-right,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2.1,vc_responsive

Blog

Como a nova economia pode afetar a maneira de fazer negócios?

Cada dia mais se fazem necessários debates para o entendimento do impacto da nova economia no mercado e a sua nova forma de fazer negócios. A verdade é que o hábito de consumo das pessoas mudou, e as empresas precisam acompanhar esse ritmo.

Nesse processo de modificação de conceitos, novos desafios se apresentam para as organizações. Essas, por sua vez, precisam de líderes flexíveis e preparados para lidar com as transformações.

Disruptura: essa é a palavra que ajuda a definir a nova economia. Afinal, ela nada mais é do que o rompimento com o velho e tradicional mercado para a abertura de um novo, muito mais tecnológico e prático!

Mas afinal, o que é a nova economia?

A nova economia é um modelo de negócios inovador, que utiliza a tecnologia nas facilidades de comunicação e na transferência de informações.

O modelo de negócios pode ser dividido em quatro tipos:

  • Criativos: geralmente entregam bens intangíveis e ganham dinheiro com o que gostam;
  • Sociais ou de impacto: são negócios focados no impacto que geram na sociedade,utilizando a boa gestão para impactar positivamente o próximo;
  • Escaláveis: negócios que possam gerar lucros rapidamente, com produção em grande escala;
  • Inovadores corporativos: são empresários que empreendem com o dinheiro dos acionistas.

O fator fundamental da nova economia é o consumidor, sempre considerando o impacto que os produtos e serviços podem causar nele.

Você também pode gostar:
Dicas de empreendedorismo: o que a Disney pode ensinar para o seu negócio?
Empreendedorismo: 10 dicas primordiais para ter sucesso
Empreendedorismo: os 3% que dão certo nos negócios

Quais são as diferenças entre a velha e a nova economia?

A diferença é bem definida. A velha economia está relacionada ao verbo vender. Já a nova economia está relacionada ao verbo lucrar.

Se você tem conhecimento sobre vendas, deve saber que na última semana do mês, quando a empresa precisa bater as metas, geralmente são feitas promoções.

No entanto, as promoções diminuem a margem de lucro do empreendedor.

Logo, trata-se de uma armadilha. Todos os meses o seu cliente pode optar por esperar o final do mês para comprar e isso pode fazer com que a empresa fique no vermelho.

Preço x experiência do cliente

Na velha economia, a pergunta é: quanto custa?

Na nova economia, a pergunta é: qual experiência você vai me entregar?

O foco mudou, que antes era direcionado somente para os valores, agora prioriza a experiência. E olha, se ela for inesquecível e inédita, provavelmente o cliente vai comentar sobre o seu negócio com outras pessoas.

O resultado é a atração de mais clientes e o aumento da popularidade da sua empresa.

As mudanças administrativas

A velha economia foca nos controles, e a nova economia foca nas pessoas.

O empresário da velha economia está com o olhar fixo para as planilhas, principalmente as de custos. Ele também controla a hora em que o colaborador chega e a hora que ele sai (até porque na velha economia o trabalhador é visto apenas como mão de obra).

Na nova economia, o foco é nos colaboradores, clientes e fornecedores. A forma de se relacionar com as pessoas faz toda a diferença nos negócios!

O cenário atual

Nós já vivemos a nova economia, mas, infelizmente, mais de 90% das empresas ainda operam no modelo antigo de fazer negócio. O resultado é uma grande confusão que, por vezes, gera dificuldades para a empresa se definir, resultando em um tipo de negócio misto que pode não ser nada vantajoso.

Como transitar da velha para a nova economia?

De acordo com o escritor e empreendedor Maurício Benvenutti, há 5 competências para construir carreiras e negócios inabaláveis nos dias de hoje.

Ele enumera algumas atribuições necessárias que um empresário deve ter para transitar da velha para a nova economia. Confira a seguir:

  1. Causar impactos: a empresa precisa ser diferente em relação às outras que já existem. Mas como fazer isso? Ter um propósito é o primeiro passo. Nesse caso, o maior desafio é ter diálogo com a equipe de trabalho
  2. Ser visionário: trata-se de um indivíduo que tem sempre as melhores soluções e ideias para tornar a empresa sempre competitiva no mercado em que atua.
  3. Questionar ao invés de ter a resposta: estudar o conteúdo certo e saber o que vai impactar o mundo a partir deste momento é indispensável. Nem sempre ter um diploma é suficiente no meio dos negócios, principalmente se o conhecimento e a experiência não forem relevantes.
  4. Fazer COM as pessoas e não PARA as pessoas: trazer as pessoas para perto e envolvê-las em todos os processos do negócio. Com isso, elas passam a se sentir donas do projeto e assim têm mais comprometimento com o trabalho.
  5. Ser diverso: isso não significa ter uma diversidade de negócios, mas primeiramente entender que lidar com uma diversidade de pessoas, de comportamentos e de ideias pode ser um grande diferencial da sua empresa.

Como você viu, a nova economia é o modelo de negócios mais tecnológico, flexível e prático que pode gerar resultados positivos para a sua empresa.

Esteja preparado para essa mudança. Participe de nossa Imersão ao empreendedorismo!